Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Continuar

Lusofonia

Mai fali e

Mai fali e é uma canção tradicional de Timor Leste.

Canção muito conhecida em Timor, significa “Volta para casa”, em tétum, dialeto local mais comum em Timor Leste.

É uma canção de embalar em que a mãe chama os seus filhos de volta a casa quando o sol se põe. Também pode ser interpretada com um significado mais abrangente evocando o regresso à ilha natal dos timorenses que partiram.

 

(Tradução livre do poema)

Vem já, volta já / A mãe está a chamar. / O Sol está a pôr-se / A Lua está a brilhar / A mãe está a chamar. / Vem já, volta já / A mãe está a chamar.

Selecionar versão Vídeo | Áudio:
Voz e acomp.
Acompanhamento
Melodia e acomp.
Pauta
Análise musical da canção

 

Características melódicas

 

A melodia, tonal e com âmbito superior a uma oitava (Lá2-Sib3), é construída sobre uma escala diatónica maior (Sib), constituída por 4 frases de igual duração que se repetem. Duas das frases melódicas (2ª e 4ª) são iguais, não parecendo, contudo, sentir-se como um refrão. Neste conjunto de frases, o contraste melódico mais evidente é representado pela 3ª frase, mesmo em termos de texto, já que, à exceção desta, o verso é sempre o mesmo. Nesta 3ª frase sente-se maior movimentação, como que uma miniatura de desenvolvimento temático e harmónico que se distancia das primeiras frases, para depois ser resolvido com um regresso à repetição do texto e da melodia da 2ª frase da canção.

Do ponto de vista da construção melódica, repete-se o recurso a arpejos de acordes (2ª/4ª frases) e, no caso da 3ª frase, a repetição de uma sequência melódica descendente ajuda a criar a identidade desta frase, sendo a única que não é conclusiva (não termina na tónica).

 

           

Características rítmicas

 

Com uma métrica em compasso binário simples, e um tempo moderado, uma das principais características desta canção é a repetição rítmica de frases inteiras (1ª, 2ª e 4ª) que parece fazer parte de uma fórmula para embalar quem vai adormecer, criando uma espécie de rotina rítmica que só pelo meio (3ª frase) é quebrada, mas apenas ligeiramente, dado que até nessa frase há repetições rítmicas. De notar que cada frase termina com uma nota longa e uma pausa que ajuda a definir os quatro momentos da canção. A última frase termina com um retardando.

 

 

Forma

           

Constituída por três frases melódicas distintas (A B C) que se repetem (AA BB CC BB), uma delas interpoladamente (B). A estrutura do texto, uma estrofe com 4 versos, também assenta na repetição do mesmo verso 3 vezes (aaba).

 

 

Arranjo/Orquestração

 

O arranjo, na tonalidade de Sib Maior, em métrica binária simples, inclui uma introdução e uma volta completa da canção, sem interlúdios.

Os instrumentos (contrabaixo de cordas e piano sintetizado) que acompanham a melodia tocada pelas trompas, ao fundo, recriam um ambiente de simplicidade e suavidade. O acompanhamento harmónico, aparentemente simples, inclui citações da linha de baixo da ária da 3ª suite orquestral de J S Bach (BWV 1068). Na secção mais distinta da canção (3ª frase) o acompanhamento também é diferente, interrompendo-se o ‘caminhar’ do contrabaixo. Por outro lado, há maior tensão harmónica com o uso de acordes diminutos e aumentados. A concluir o acompanhamento desta canção de embalar, desaparece o apoio dos graves e um ritardando anuncia o fim.

Ficha da canção
Download
Pauta
Letra

Mai fali e

 

Mai fali e

fila fali e

mama bolu ita fali e

 

Mai fali e

fila fali e

mama bolu ita fali e

 

Loron atu tun ona

fulan atu sae ona

mama bolu ita fali e

 

Mai fali e

fila fali e

mama bolu ita fali e

 
TAGS
timor, embalar,
A Minha Lista