Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Proceed

Traditionals

Marião

Marião é uma canção tradicional portuguesa da região de Trás-os-Montes, mais precisamente da freguesia de Vale de Gouvinhas.

"Marião" não representa, tanto quanto se sabe, um personagem real mas pode ser visto como sendo "as gentes da terra".

Esta canção foi adotada como um "hino" desta freguesia.

Select version Video | Audio:
Voz e acomp.
Acompanhamento
Melodia e acomp.
Pauta
Análise musical da canção

 

Características melódicas 

 

A melodia está na tonalidade de Si b M e tem um âmbito de 8ª Perfeita [Si b 2 – Si b 3].

É constituída quase exclusivamente por graus conjuntos, com duas 3ª m nas ligações de frases. De notar os cromatismos na primeira frase, provocados pela alteração ascendente do 4º grau da tonalidade.

 

Características rítmicas

 

A melodia está escrita no compasso 2/4, binário de tempos de divisão binária.

O ritmo é silábico e quase exclusivamente escrito em colcheias e semínimas.

O andamento é moderado (Moderato), sem variações. 

 

Forma 

 

Forma binária (AB).

A melodia divide-se em duas partes assimétricas, a parte A constituída por (ab, 4+4 compassos) e a parte B constituída por (cc’, 2+3 compassos). No texto, a quadra é dividida em duas partes sendo os dois primeiros versos pertencentes à primeira frase (A) e os dois últimos versos pertencentes à frase B. Refira-se ainda que os dois últimos versos de cada quadra são sempre iguais e que cada verso da canção acaba com a palavra Marião.

AB repete oito vezes, já que a canção tem oito estrofes.

 

Arranjo/Instrumentação

 

O arranjo segue o plano formal seguinte: Introd. ABAB Interl. ABAB Interl ABAB Interl. ABAB.

O arranjo começa com uma introdução com piano, violoncelo e um jogo de sinos cujas lâminas foram substituídas por um jogo de ferramentas.

 

Song pdf
Download
Score
Lyrics

Marião

 

Adeus, ó Vale de Gouvinhas, Marião.

Não és vila nem cidade, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

És um povo pequenino, Marião.

Feito à minha vontade, Marião. 

Sim, sim, Marião.

Não, não Marião.

 

Hei-de cercar Vale Gouvinhas, Marião.

Com trinta metros de fita, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

À porta do meu amor, Marião.

Hei de pôr a mais bonita, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

Os meus olhos não são olhos, Marião.

Sem estarem os teus defronte, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

Parecem dois rios d’água, Marião.

Quando vão de mont´a monte, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

Já corri os mares à roda, Marião.

Com uma vela branda acesa, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

 

Em todo o mar achei água, Marião.

Só em ti pouca firmeza, Marião.

Sim, sim, Marião.

Não, não, Marião.

TAGS
Natureza Trás-os-Montes
A Minha Lista