Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Proceed

Early music

Minina dos olhos verdes

Minina dos olhos verdes é uma cantiga de autor anónimo do século XVI de temática amorosa.

Polifonia profana do Renascimento português faz parte do “Cancioneiro de Paris”.

Canção amorosa composta por três estrofes de autor anónimo, sendo a última copla idêntica à primeira volta sobre o mesmo mote, com ligeiras variantes, escrita por Luís Vaz de Camões.

GÉNERO MUSICAL

 

Conversar com o grupo sobre o conceito de Música Antiga:

  • Situá-la cronologicamente no tempo;

  • Enquadrá-la historicamente;

  • Contextualizá-la socialmente;

  • Explicar e mostrar visual e auditivamente (cd, dvd ou internet), em termos organológicos (descrição e classificação dos instrumentos musicais), os instrumentos musicais que se usavam na época;

  • Ouvindo a versão áudio voz com acompanhamento tentar identificar, auditivamente, alguns timbres instrumentais usados no acompanhamento instrumental da canção (por exemplo o alaúde);

  • Procurar encontrar e estabelecer as diferenças entre música antiga e a música atual (contemporânea).

 

TEXTO E RITMO

 

  • Adaptar o texto em português antigo para o português atual e conversar sobre o seu significado;

  • Dizer o texto sem andamento pré-definido até que o grupo o aprenda em termos de pronunciação e dicção;

  • Estimular a memorização da canção através da alternância e troca das várias partes do texto por grupos diferentes.

  • Ler o texto com o andamento definido na partitura, ouvindo ao mesmo tempo a versão áudio – voz com acompanhamento;

  • Omitir palavras previamente combinadas para assim melhor facilitar a memorização frásica;

  • Acompanhar a música com a marcação corporal da pulsação e posteriormente do ritmo da canção;

  • Estimular a memorização da canção através da alternância e troca das várias partes do texto por grupos diferentes.

 

MELODIA E FORMA

 

  • Trautear a melodia, sem texto, por frases repetindo de forma expressiva e variada até que o grupo interiorize a melodia, acrescentando-lhe a letra posteriormente;

  • Dividir o grupo em função da forma da música (ABBA), um grupo canta a parte A e o outro a B e depois trocam e posteriormente todos cantam toda a canção;

  • Cantar a canção com a versão áudio melodia com acompanhamento interpretando várias intensidades (p, mf e f);

  • Cantar a canção expressando diferentes emoções e sentimentos;

  • Cantar a canção à capella (sem acompanhamento) para terem uma melhor perceção da afinação;

  • Cantar a canção com acompanhamento instrumental de ostinatos harmónicos básicos e/ou execução instrumental da melodia executados por alunos que não a cantem.

  • Acompanhar a canção com instrumentos de percussão da sala de aula e/ou sons corporais que possam assemelhar-se ou complementar alguns usados nas gravações ouvidas e/ou visionadas;

  • Cantar a canção associando a sua pulsação ao movimento livre e indiferenciado que a mesma induz a cada um dos alunos, explorando-a enquanto indutora de liberdade interpretativa e criativa;

  • Cantar melodias improvisadas por cima da versão áudio - acompanhamento, estimulando assim a criatividade individual e em grupo.

 

SABER MAIS

 

  • Ouvir músicos especialistas e profissionais a tocar esta canção e este género musical.

  • Usar o texto, recorrendo à cor dos olhos, alterando-a para outras cores comuns, estimulando assim a representatividade de todos os alunos na letra da canção.

 

 

Song pdf
Download
Score
Lyrics

Minina dos olhos verdes

 

Minina dos olhos verdes,

Porque me não vedes,

porque me não vedes,

porque me não vedes?

 

Vede-me senhora,

Olhai que vos vejo.

E que meu desejo

Creçe d'ora em ora.

 

Serdes crua agora

Não hé d'olhos verdes

Pois que me não vedes,

pois que me não vedes.

TAGS
Música Antiga, menina, olhos, verdes, Camões
A Minha Lista