Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Continuar

Tradicionais

Ciclo do Dia de Natal - 5. A palavra mais bela

Canção que faz parte de um conjunto de 5 canções do Ciclo do Dia de Natal, concebido e composto para o Cantar Mais pelo compositor Carlos Garcia.

Selecionar Versão:
Voz e acomp.
Acompanhamento
Videoclip
Pauta
Análise musical da canção

Características melódicas

 

A melodia está na tonalidade de Lá M e tem um âmbito de 9ª Maior [Si 2 – Dó# 4].

É constituída por intervalos melódicos de 2ª (m e M), 3ª (m e M), 4ª e 5ª (P), 6ª(m) predominando o movimento por graus conjuntos. 

 

Características rítmicas

 

A melodia está escrita no compasso 4/4, quaternário de tempos de divisão binária e com passagens ocasionais pelo compasso 2/4.

O ritmo é silábico e escrito predominantemente com colcheias, semínimas e mínimas. Assinala-se a existência de ritardando e alterações de andamento como elemento expressivo. 

O andamento é Andante Moderato (semínima=95)

 

Forma

 

A melodia divide-se em cinco partes (ABCDE).

Mantendo a coerência melódica, observada em pequenos motivos ou frases melódicas, o desenvolvimento de cada parte da canção está associado aos versos e palavras de cada estrofe salientando-se dois momentos em que o texto é falado.

 

Arranjo/Instrumentação

 

O arranjo segue o plano formal seguinte: Introd.| ABCDE| Coda.

A canção está organizada em torno de cada frase das estrofes, a que correspondem partes musicalmente próximas mas distintas.

Acompanham a voz nesta canção o piano, a flauta transversal, o baixo fretless e bateria (kit de jazz).

Ficha da canção
Download
Pauta
Letra

A palavra mais bela

 

Fui ver ao dicionário dos sinónimos

A palavra mais bela sem igual,

Perfeita como a nave dos Jerónimos

E o dicionário disse-me: NATAL.

 

Perguntei aos poetas que releio:

Gabriela, Régio, Goethe, Poe, Quental,

Lorca, Olegário... E a resposta veio:

Christmas… Natividad... Nöel... NATAL.

 

Interroguei o firmamento todo!

Cobra, formiga, pássaro, chacal!

O aço em chispas, o pipeline, o lodo!

E a voz das coisas respondeu: NATAL!

 

Pedi ao vento e trouxe-me, dispersos,

Riscos de luz, fragmentos de papel.

Cânticos, sinos, lágrimas e versos:

Um N, um A, um T, um A, um L...

 

Perguntei a mim próprio e fiquei mudo:

Qual a mais bela das palavras, qual?

Para quê perguntar se tudo, tudo

Diz NATAL, diz NATAL e diz NATAL?!

TAGS
Natal, Carlos Garcia, Adolfo Simões Müller
A Minha Lista